Com amor

A ti desejo o amor,

Não falo desses de cinema ou canções americanas, muito menos do amor poético, romantizado.

A ti desejo o amor das entrelinhas, que construímos ao longo do caminho, mais difícil de encontrar que verdades ditas em público.

Esse amor que a ti desejo não depende de mim, a ninguém cabe esse lugar.

Sim, é possível ser amada por inteiro, sem mentiras nem preconceito.

Onde seu corpo é visto, sentido, aceito cada detalhe, onde defeitos não são mencionados.

Não existe  padrão para se comparar, tua beleza é tão única que não há a opção de não gostar.

Olhe para o espelho, nele reflete o medo , a culpa, as cicatrizes deixadas pelo tempo.

Olhe mais fundo do que costuma enxergar, pare de se culpar pelas medidas elas nem almenos existem.

E que se foda os que dizem o que devemos ser, o que devemos ter,  vestir, comer e aprender.

Eu sei, é difícil ser, é difícil aceitar, olhar para si e amar.

AMAR o corpo

Que carrega tua alma todos os dias, sentindo na pele o peso do padrão.

Perdoa,  teu corpo se doa em busca de aceitação.

Perdoa tuas marcas de nascença, desacredita do que tenham dito, diz que agora é tu quem dita.

Tuas verdade, tua razão.

Amai a si acima de todos,  além dos parâmetros de beleza,

A riqueza está em teu sorriso, se arrisca em ser verdade.

Desconstrói os conceitos, se acerta consigo

Faz do teu corpo abrigo.

 

 

.

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s